Make your own free website on Tripod.com

Circuitos utilizados pela Fórmula-1

Fuji International Speedway
Home

fuji.jpg

O circuito de Fuji é um circuito localizado no distrito de Sunto, em Shizuoka, no Japão, aos pés do Monte Fuji. Fará sua restréia na Fórmula 1 no ano de 2007, substituindo o circuito de Suzuka como sede do Grande Prêmio do Japão.

Inicialmente a pista foi planejada para ser um oval de duas milhas e meia de extensão de alta velocidade (formato de circuito conhecido como Superspeedway), porém, devido a falta de recursos, somente uma das curvas do circuito foi construída. Posteriormente essa cruva foi interligada com as ruas da localidade, transformando Fuji em um circuito de rua.

A pista foi inaugurada em dezembro de 1965 e logo pode-se constatar a alta periculosidade da curva de alta velocidade, pois não fornecia proteção satisfatória em caso de acidentes, o que tornava os mesmos, em sua maioria, muito graves. Foram feitos alguns ajustes para tentar solucionar o problema, sendo o principal a adição de uma curva de baixa velocidade ao fim da reta.

Em 1976, no circuito de Fuji, o Japão estréia na Fórmula 1, sendo a última das 16 corridas da temporada. Na primeira edição, houve uma batalha intensa entre James Hunt e Niki Lauda e, devido as péssimas condições do tempo e da pista, Lauda abandona a disputa e deixa livre para Hunt ganhar o campeonato. Mario Andretti venceu a corrida com Hunt chegando em terceiro.

Na sua segunda edição, em 1977, foi uma corrida marcada por um grave acidente. Na volta 6, Ronnie Peterson e Gilles Villeneuve disputavam posições quando Villeneuve fez uma manobra no fim da reta, o carro saiu da pista e atravessou o muro, voando em direção às pessoas que estavam naquele ponto. Ao final, duas pessoas morreram (um policial e um fotógrafo) e mais de dez pessoas se feriram. Dessa vez Hunt ganha a corrida e, como já não havia mais nenhuma disputa ou interesse, Hunt e o 2º colocado, Carlos Reutemann, não subiram ao pódio, porque pegaram o primeiro vôo para a Europa, fazendo que apenas Patrick Depailler, o 3º colocado, comemorasse sozinho. Depois disso, Fuji não sediou mais corridas na F1 e o Japão esperou dez anos para novamente ver um Grande Prêmio em seu país, dessa vez em Suzuka.

Restou a Fuji sediar corridas de carros e de outras competições nacionais. As velocidades ainda continuavam muito altas e, por isso, em 1986, foram colocadas duas chicanes, uma na curva 100R e a outra na maior curva do circuito, a Last Curve mas, mesmo com essas modificações, o maior atrativo do circuito é ainda a sua longa reta que tem mais de 1.3 km, sendo uma das maiores do automobilismo. A pista ainda continuou a sediar competições nacionais, até que os donos da pista tentaram, sem sucesso, uma prova na CART no final dos anos 90. Depois foi abandonada e no outono de 2000 a Toyota comprou o autódromo para tentar se fazer algo no futuro com o circuito.

Em 2003, o circuito foi fechado para novas modificações profundas, tendo seu traçado modificado e refeito por Hermann Tilke. Recentemente, em abril de 2005, a pista foi aberta novamente e a Toyota conseguiu um acordo com a FIA para trazer novamente a Formula 1 para Fuji, em substituição à Suzuka — a prova realizou-se em 30 de setembro de 2007. Tal fato acirra ainda mais a disputa entra as duas equipes japonesas da Fórmula 1, já que Suzuka pertence à Honda.

O Autódromo de Monte Fuji foi palco do Grande Prêmio do Japão de Fórmula 1 nos anos de 1976 e 1977, e a partir de 2007.

Coordenadas: 35º 22' 18'' N, 138º 55' 36" E.