Make your own free website on Tripod.com

Circuitos utilizados pela Fórmula-1

Scandinavian Raceway
Home

anderstorp.jpg

O Scandinavian Raceway de Anderstorp, mais conhecido pelo nome da localidade onde fica situado (Anderstorp), é um peculiar exemplo de tenacidade e paixão que demorou pouco mais de um ano a construir e praticamente sob iniciativa privada.

Inaugurado na Primavera de 1968, os responsáveis pela realização do projeto foram liderados pelo popular Sven "Smokey" Asberg - cuja imagem e alcunha estão associados ao seu habitual charuto -, bem como por Ake Bengtsson e Bertil Sanell. Foi este trio que conseguiu ultrapassar todas as vicissitudes que se foram deparando a Anderstorp ao longo do seu nascimento e também durante parte da sua história.

No entanto, a pista foi construída, entrou em funcionamento e, em menos de três anos, recebeu o Campeonato do Mundo de Motociclismo, ao mesmo tempo que se trabalhava arduamente para o grande objectivo e sonho de "Smokey" Asberg pudesse ser alcançado - acolher uma prova de Fórmula 1.

Durante cinco anos - entre 1973 e 1977 -, Anderstorp assumiu a organização dos Mundiais de duas e de quatro rodas, mas tal acabou em 1978, quando as motos se transferiram para Karlskoga nesse ano e no seguinte.

Desde então, a situação de Anderstorp acolher ambos os Mundiais iria findar, visto que no mesmo ano de 1978, foi o último ano que a Fórmula 1 iria passar pelo traçado sueco.

Com a perda da Fórmula 1, a pista tornou-se uma referência para o Mundial de velocidade, que acabou por ser aquele que mais dias de glória lhe deram graças à sua organização, até 1990, do Grande Prêmio da Suécia. Anderstorp regressou recentemente ao WTCC, após alguns anos sem receber a prova.

A principal característica do circuito são as suas longas e rapidíssimas curvas, sobretudo a Continental: uma larga e veloz viragem de mais de 180º onde no caso das motos o controle do acelerador é vital.

A outra característica de Anderstorp é o facto de ter uma pista de um aeroporto "colada" à sua reta principal - que não é a da meta -, o que lhe confere uma largura inusitada e que permite assistir a espetaculares e arriscadas ultrapassagens.

Um circuito de boa memória para o piloto lusitano, Tiago Monteiro, pois foi no Scandinavian Raceway Anderstorp que alcançou a sua primeira "pole-position" no WTCC, e o sua melhor pontuação de um fim-de-semana de corridas no WTCC, com a obtenção de um 2º e um 6º lugar nas duas corridas!

Coordenadas: 57º 15' 55" N, 13º 36' 15" E.